18 de Abril de 2014

Há uns anos vivia aqui...

É engraçado rever os inicios do blogue, os porquês de ter começado, o que queria fazer. Acabo por perceber que há coisas de que queria falar mas que, por uma razão ou outra, nunca falei ou nunca mais pensei nelas. Afinal, o blogue também aparece por causa desses assuntos e por isso decidi dar-lhes mais atenção. Um deles são as casas. Decoração (basta seguirem o tag Keys, para verem o que foi publicado até hoje...). Quatro paredes cheias de coisas giras, que nos inspiram, que nos aconchegam nos dias frios e tristes, ou recebem os amigos em dias alegres. A de hoje, podia ter sido a minha casa quando era solteira, na fase em que vivi sozinha. Grandes tempos em que a melhor sensação que podia ter era sentar-me a comer um saco de meio quilo de amendoins para jantar e ninguém me vir chatear sobre o assunto (não era a melhor, mas era das melhores, de certeza).

A casa da Anette parece não ter muito para dizer, mas tem tanto que podia fazer um post de 10 páginas. É simples, cheia de luz, branca com o cinzento e o preto a contrastar (vamos combinar uma coisa? Um dos meus pet peeves é a expressão "apontamentos de (qualquer coisa)...", por isso, se por acaso a apanharem por aí estão autorizados a dar-me um carolo nos comentários). Aparentemente, tem apenas o essencial que seria pouco para a maioria das pessoas, mas quando penso sobre o assunto e a quantidade de tralha com que enchemos as nossas casas, acho que o essencial é suficiente. Adorei a forma simples como improvisou um candeeiro de mesa de cabeceira e até a própria mesa de cabeceira. Gosto da maneira como a casa tem um ar vivido e nada imaculado, como muitas que vemos. Daquelas onde parece que ninguém vive. Costumo dizer que, para uma casa ser vivida, tem de ter uns livros, jornais e revistas espalhados, mas a serem lidos, nada a fazer de conta!


anettes2_whitelivingetc_4

anettes2_whitelivingetc_7

anettes2_whitelivingetc_6

anettes2_whitelivingetc

12 comentários :

  1. Adorava ter tido a oportunidade de ter vivido sozinha ... agora se acontecer já é mau sinal :p
    Ainda ontem o meu almoço foi um saco de amêndoas de chocolate ! Era só mais uma , só mais uma e quando dei por isso tinha o saco vazio!!
    Gosto tanto de ver sites e revistas de decoração ... entre este tipo de casas e as do tipo country homes não me consigo decidir de qual é que gosto mais ... acho que gosto mesmo é dos dois géneros ;)
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito de ter vivido sozinha, mas acho que devia ser dada a oportunidade de viver sozinha a cada pessoa, a sério. Nem que fosse um ano só! Ainda assim, acho que aproveitaria mais agora do que aproveitei há 15 anos. Já não falando na parte do almoço-o-que-me-der-na-real-gana!!

      Eliminar
  2. Também adoraria ter vivido sozinha, acho que faz bem. Saltei essa etapa mas quando me apanão completamente sozinha " reconstruo-me". As casas brancas e cinza com madeiras de cor Madeira fazendo lembrar o norte da Europa são tão confortáveis, gosto de muita miscelânea, mas essas são das preferidas. Beijinho e boa Páscoa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal como eu, quando me apanho sozinha! Estar connosco faz bem e viver sozinha tem essa parte de fechar a porta e pores todos na rua. :) Ah sim, e as casa então nem se falam.... :D

      Eliminar
  3. Também não cheguei a viver sozinha, mas acho importante essa experiência. Tenho muitos momentos em que estou sozinha, ás vezes até demais, mas apesar de tudo, adoro esses momentos. É tão bom, ouvir, ver, fazer e comer o que me dá na real gana. E os momentos de silêncio só para nós, são tão bons! Mas o melhor de tudo é saber que à tardinha a casa volta a ficar cheia. Relativamente à decoração, gosto muito de brancos misturados com madeira, também gosto de alguns apontamentos vintage e sempre casas onde vive gente dentro, sem dúvida! Boa Páscoa! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ideal, é conseguirmos ter uma coisa equilibrada! Boa Páscoa!

      Eliminar
  4. Desde o início da minha adolescência que tinha o "sonho" de morar sozinha logo que começasse a trabalhar. E assim foi: não tanto por vontade, mas mais por necessidade, já que fui para 500 km de distância de casa dos pais...
    Morei sozinha cerca de 4 anos. Tem as suas coisas boas, como as refeições à vontade do único freguês, os horários, como o do sono (sobretudo para quem trabalha por turnos é ótimo), de quando fazer o que tem de ser feito em casa e arrumar apenas aquilo que nós desarrumamos. Também é bom porque nos permite encontrarmo-nos conosco mesmos. Sentirmo-nos livres e independentes.
    Mas os 4 anos também me fizeram entender que faz falta encontrar pessoas quando se chega a casa, discutir acerca da roupa que fica espalhada, da louça por lavar ou o simplesmente o que vai ser para jantar. Por muito bom que seja desenrascarmo-nos sozinhas, faz falta ter alguém a quem pedir ajuda para tratar da bricolage. É muito mais interessante cozinhar para duas (ou mais) pessoas. Sabe bem partilhar decisões acerca da decoração. Faz falta ter alguém por perto quando estamos doentes...
    Bastaram uns mesitos de adaptação e já não troco esta vida de partilhar casa, pela minha vida anterior, por nada. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A verdade é que tens sempre saudades do que não tens. Vivi sozinha e agora tenho dois homens a darem-me cabo da casa (vá, um tem 12 anos, não será um homem ainda), mas acho que me faz falta uma vez por ano, ficar eu e os pacotes de amendoins e a maior porcaria que esteja a dar na TV. Arejo a cabeça. Se vivesse sozinha, de certeza que ia morrer de inveja das minhas amigas e amigos com casa montada e família lá dentro. :)

      Eliminar
    2. É verdade, nunca se está satisfeito com o que se tem.
      O bom dos momentos a sós também é o silêncio que acaba por nos fazer sentir saudades do barulho do costume ;)

      Eliminar
  5. Vivi sozinha durante 4 anos em Alfama. Foi das experiências mais giras que tive até hoje!
    Quando me mudei o prédio tinha acabado de ser remodelado, os inquilinos eram todos novos à excepção de uma senhora de 80 anos que vivia no último e era um amor de pessoa. O prédio era de 3 andares - esquerdo e direito. Para além da senhora do 3º, mudámo-nos todos na mesma altura, tínhamos todos entre os 25 e os 35 anos, vivíamos todos sozinhos, com um ou outro animal de estimação e coincidência, cada andar tinha uma rapaz e uma rapariga :) parecia o "Friends". Foi lindo :D

    Ps: Adorei a casa Ana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso era um sonho!!!! Que cena brutal! Boa semana!!!

      Eliminar

Eu sei que comentar é uma chatice, mas adoro saber as vossas opiniões. Obrigada!!

Related Posts with Thumbnails